setembro 30, 2012

Isn't it ironic?! Don't you think?...

É quando estás iluminada que as borboletas voam ao teu encontro.

setembro 22, 2012

setembro 21, 2012

Fertile

"A imaginação é a voz do atrevimento"
Henry Miller

setembro 19, 2012

quarenta e quatro

‎"Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar. Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente para me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias, caso não possa vivê-las. Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso achar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia. Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crer que é para sempre quando eu digo convicto que "nada é para sempre." "


Gabriel García Márquez

Overcome

setembro 10, 2012

Single out

Ontem reparei num movimento diferente, inesperado, bonito por único... nas árvores na orla da floresta onde se abria uma clareira.

Uma, mais clara, mais pequena, agitou-se freneticamente, isolada. As vizinhas impávidas e serenas.
Depois, do extremo oposto da clareira, o som inconfundïvel do agitar de ramagens. As vizinhas da pequena e  clara árvore, impávidas e serenas permaneceram.

setembro 08, 2012

Quoth the raven, nevermore

Chega de pôr a jugular à disposição de vampiros.
Ano de revelações, mesmo.